Métodos Anticonceptivos

sitophilus oryzae ciclo biológico

Podem ocorrer juntas em massa de gr√£os, sendo a densidade populacional vari√°vel, dependendo da regi√£o em que ocorre. Este inseto √© facilmente encontrado no campo, em espigas de milho danificadas ou mal empalhadas. Ciclo biol√≥gico: em gr√£os de caf√©, s√£o colocados cerca de 50 ovos (0,57 x 0,32 mm) por f√™mea, isolados nas cerejas ou sementes (Lecato & Flaherty, 1974). √Č praga prim√°ria de leguminosas, com origem nas regi√Ķes tropicais das Am√©ricas Central e do Sul (Fig. Popula√ß√Ķes de Sitophilus oryzae, origin√°rias da infesta√ß√£o de 100 indiv√≠duos em gr√£os de trigo em diferentes umidades e temperaturas. Em consequ√™ncia desta necessidade por altos n√≠veis de umidade, as esp√©cies de Carpophilus s√£o indicadoras de condi√ß√Ķes inadequadas de armazenamento, geralmente relacionadas com desenvolvimento f√ļngico ou alta umidade (Haines, 1991). 59 a) e C. diamidiatus (fig. Larvas - s√£o im√≥veis, alimentando-se vorazmente do pr√≥prio gr√£o. Pragas comuns em gr√£os armazenados, com ampla distribui√ß√£o nas regi√Ķes amenas do mundo, s√£o consideradas pragas secund√°rias. Este inseto √© uma praga cosmopolita e pode infestar produtos secos de origem animal e vegetal, alimentando-se de uma grande variedade de produtos armazenados, entretanto n√£o √© comumente encontrado em regi√Ķes tropicais. A 17¬įC o crescimento cessa e adultos submetidos durante 6 dias √† temperatura de 4¬įC morrem (Hill, 1990). O desenvolvimento larval dura de 17 a 30 dias e o per√≠odo pupal de 3 a 10 dias, sendo seguido por um per√≠odo de matura√ß√£o pr√©-emergente de 3 a 10 dias (Hill, 1990). Ciclo biol√≥gico: Os ovos podem ser colocados diretamente sobre o material alimentar ou em cavidades nos gr√£os. As f√™meas continuam a ovipositar at√© a morte. A dultos - voam ativamente, alimentando-se dos cereais, podendo viver por seis meses. Ciclo biol√≥gico: A oviposi√ß√£o √© feita de forma isolada ou em pequenos grupos sobre o material alimentar, cada f√™mea coloca em m√©dia 350 ovos (0,66 x 0,36 mm), sendo o per√≠odo de incuba√ß√£o de aproximadamente 7 dias (Pimentel, 1949; Lecato & Flaherty, 1974). A f√™mea deposita seus ovos em qualquer subst√Ęncia org√Ęnica seca, e a larva alimenta-se escavando galerias nas mesmas. Desenvolvem-se dentro dos gr√£os. Segundo Lecato & Flaherty (1974), os ovos de C. dimidiatus assemelham-se em tamanho e forma aos de Oryzaephilus mercator (Silvanidae) e medem aproximadamente 0,71 x 0,23 mm. Produtos: caf√©, milho, feij√£o, amendoim, mandioca, sementes de cacau, noz-moscada, nozes em geral, especiarias, ra√≠zes secas, alguns alimentos processados, e diversas sementes (Hill, 1990). Em fun√ß√£o do seu r√°pido desenvolvimento, h√° um alto potencial para o crescimento populacional e desta maneira os danos acumulados podem ser muito extensos. Ciclo biol√≥gico: Os ovos podem ser colocados nas vagens ainda no campo ou diretamente nas sementes armazenadas; cada f√™mea deposita de 40 a 60 ovos e a eclos√£o das larvas ocorre entre 3 e 9 dias. 66). Tribolium confusum (Jacquelin Duval, 1868). Produtos: √Č praga s√©ria em feij√£o (Phaseolus vulgaris), mas √© encontrada danificando outras leguminosas armazenadas. 59 b) apresentam o ciclo de vida estudado (Mound, 1989). Est√£o entre as pragas mais importantes em produtos armazenados, principalmente em farinhas e gr√£os de cereais, causando consider√°veis perdas; estas esp√©cies possuem os mais altos √≠ndices de crescimento populacional registrados para produtos armazenados (Fig. A esp√©cie √© muito semelhante morfologicamente a Sitophilus zeamais, podendo ser separadas somente pela observa√ß√£o da genit√°lia. Produto: Ataca grande variedade de gr√£os armazenados, principalmente trigo, arroz e produtos de cereais. Em fun√ß√£o de tolerar temperaturas mais baixas √© encontrado tamb√©m nas √°reas temperadas das regi√Ķes tropicais (Haines, 1991). 55). Estes insetos seguem o ataque de pragas prim√°rias e s√£o geralmente encontrados em grande n√ļmero associados com Sitophilus oryzae (United States Department of Agriculture, 1986). 65). A larva branca e sem pernas (Fig. J√° para O. mercator, nas mesmas condi√ß√Ķes de temperatura, s√£o depositados aproximadamente 200 (0,71 x 0,24 mm), cerca de tr√™s por dia (Howe, 1956; Cotton & Wilbur, 1982; Lecato & Flaherty, 1974; United States Department of Agriculture, 1986; Pacheco & Paula, 1995). Praga prim√°ria de gr√£os armazenados, atacando tamb√©m outros produtos aliment√≠cios, esta praga originariamente nativa dos tr√≥picos, foi disseminada pelo com√©rcio para todas as partes do mundo (Fig. 62). Os adultos vivem de 4 a 12 meses e o ciclo evolutivo completa-se em 35 dias sob condi√ß√Ķes ideais de temperatura e umidade (Hill, 1990). Danos: Larvas e adultos s√£o pragas secund√°rias em cereais e mostram prefer√™ncia pela regi√£o germinal do gr√£o, por√©m, causam severos danos em produtos farin√°ceos, onde sua presen√ßa deve ser tratada com muita aten√ß√£o. Faixa de desenvolvimento: 13 a 35¬ļ C, sendo temperatura √≥tima de 30¬ļ C. Ovos - s√£o colocados nos cereais armazenados, ou ainda no campo. No Brasil o caf√© √© o produto de maior import√Ęncia econ√īmica a sofrer o ataque desta praga. O ciclo evolutivo, a 30 oC e 70% de UR, dura cerca de 30 dias quando criado em germe de trigo (Haines, 1991). Nos gr√£os elas mostram prefer√™ncia pela regi√£o germinal, causando assim perda de qualidade e redu√ß√£o do poder germinativo (United States Department of Agriculture, 1986). Apresentam de 4 a 6 √≠nstares larvais e no √ļltimo a larva constr√≥i um casulo pupal com part√≠culas de material alimentar aderidos √† superf√≠cie. Ciclo biol√≥gico: cada f√™mea coloca em torno de 80 ovos, depositados isoladamente em meio ao alimento (Lecato & Flaherty, 1974), a eclos√£o ocorre entre 6 e 10 dias (Hill, 1990). Documentos Online N¬ļ 75 Publica√ß√Ķes Online, Howe, 1956; Cotton & Wilbur, 1982; Lecato & Flaherty, 1974; United States Department of Agriculture, 1986; Pacheco & Paula, 1995, United States Department of Agriculture, 1986, Gallo et al., 1988; Hill, 1990; Haines, 1991, Lecato & Flaherty, 1974; United States Department Of Agriculture, 1986; Hill, 1990; Poy, 1991, United States Department of Agriculture, 1986; Hill, 1990. Ciclo biol√≥gico: cada f√™mea deposita cerca de 200 ovos (C. pusillus 0,58 x 0,15 mm) nas rugosidades dos gr√£os ou soltos em meio aos gr√£os e material farin√°ceo. Ciclo biol√≥gico: Os ovos s√£o colocados aderidos nas vagens ou diretamente nas sementes. Danos: Atacam gr√£os inteiros, alimentando-se de todo o seu conte√ļdo (germe e endosperma). As larvas constroem galerias irregulares, deixando os gr√£os ocos ou reduzidos a p√≥. Geralmente as popula√ß√Ķes s√£o formadas por mais de uma esp√©cie de Cryptolestes (Fig. Fone: (41) 3275-0606 | biopraticci@biopraticci.com.br. Muitas infesta√ß√Ķes iniciam no campo e as larvas alimentam-se das sementes em matura√ß√£o (Gallo et al., 1988; Hill, 1990; Haines, 1991). Considerados pragas prim√°rias, est√£o entre as mais destrutivas pragas de gr√£os armazenados em todo o mundo (Fig. As condi√ß√Ķes √≥timas para o desenvolvimento s√£o 30 - 35o C e 70 - 90% UR para O. surinamensis e 30 - 33o C e 70% UR para O. mercator (Haines, 1991). O ciclo evolutivo pode ser completado em aproximadamente 40 dias, a 30oC e 60 - 90 % de UR, os adultos vivem em torno de 85 dias e as f√™meas depositam um m√°ximo de 75 ovos (Hill, 1990; Haines, 1991). O ciclo evolutivo √© completado em menos de 20 dias a 28 oC e 85% de UR (Pacheco & De Paula, 1995). O adulto, nos gr√£os inteiros, tem prefer√™ncia pela regi√£o germinal. Esp√©cies do g√™nero Phaseolus s√£o os hospedeiros usuais, principalmente P. vulgaris e P. lunatus, por√©m outras podem ser atacadas (Haines, 1991; Pacheco & De Paula, 1995). Para C. hemipterus o ciclo evolutivo variou de 42 dias a 18,5oC at√© 12 dias a 32oC, ambos com UR superior a 70%. Ovos - s√£o colocados nos cereais armazenados, ou ainda no campo. Al√©m de milho e arroz, pode atacar outros cereais. Danos: essencialmente praga secund√°ria, por√©m, as larvas podem penetrar em gr√£os com danos muitos leves. Causando severos danos, estes insetos geralmente iniciam a infesta√ß√£o na lavoura, o que faz com que o produto j√° chegue contaminado para o armazenamento. Este inseto √© raramente encontrado em gr√£os armazenados em boas condi√ß√Ķes. (Haines, 1991). Para C. dimidiatus o ciclo evolutivo variou de 49 dias a 18,5oC at√© 15 dias a 32oC, ambos com UR superior a 50% (Haines, 1991). Diversas esp√©cies de Carpophilus ocorrem tanto no campo quanto no armazenamento, em uma grande variedade de produtos (Fig. Danos: Adaptada para viver e reproduzir em condi√ß√Ķes de baixa umidade, ao alimentar-se dos cotil√©dones, causa preju√≠zos consider√°veis, como perda de peso, redu√ß√£o da qualidade aliment√≠cia e do poder germinativo das sementes. A larva √© do tipo elateriforme, tem forma alongada e colora√ß√£o amarelada, e o est√°gio larval dura aproximadamente 35 dias. A identifica√ß√£o das esp√©cies de Carpophilus encontradas no armazenamento √© muito dif√≠cil em fun√ß√£o destas serem muito similares (Haines 1991, Pacheco & De Paula, 1995). Condi√ß√Ķes √≥timas parecem estar em torno de 33¬įC e 70% de UR, quando o ciclo evolutivo dura, em m√©dia, 23 dias. Encontrado em todos os continentes. Produtos: uma grande gama de produtos √© danificada por este inseto, incluindo oleaginosas, cereais, gr√£os de cacau, farinhas, especiarias, folhas de fumo, cigarros, frutas secas e alguns produtos de origem animal. √Č encontrado em uma grande variedade de produtos, tendo no entanto prefer√™ncia por produtos em deteriora√ß√£o onde se alimenta de fungos. Este inseto assemelha-se a Cryptolestes spp., por√©m, √© maior e mais robusto, tem distribui√ß√£o mundial e n√£o √© considerado praga s√©ria de gr√£os armazenados (Fig. Cryptolestes ferrugineus (Stephens, 1831). insetos praga Sitophilus oryzae e Sitophilus zeamais ocorrem com grande incid√™ncia tanto no campo como no armazenamento. Carvalho & Rosseto (1968) usando como substrato Phaseolus vulgaris registraram um ciclo evolutivo com dura√ß√£o m√©dia de 28 dias a 30 - 32oC e 70 - 75% UR. Ciclo biol√≥gico: Cada f√™mea deposita de 200 a 500 ovos (0,52 x 0,20 mm) em cavidades naturais na superf√≠cie rugosa das sementes (Lecato & Flaherty, 1974). O adulto mede cerca de 2,5 mm de comprimento, sua colora√ß√£o √© marrom clara e o corpo apresenta uma fina pilosidade sedosa (Fig. A eclos√£o das larvas ocorre ap√≥s 4 dias sob condi√ß√Ķes √≥timas (35¬įC e 75% de umidade relativa). Tamb√©m s√£o popularmente conhecidos como carunchos, gorgulhos e bicudos. Produto: atacam farinhas e gr√£os armazenados de todos os tipos, podem ainda ser encontrados em frutas secas, nozes, tortas e outros produtos. Todas estas esp√©cies s√£o dependentes, para sua sobreviv√™ncia, de altos n√≠veis de umidade. No caf√©, a larva alimenta-se inicialmente da polpa e posteriormente ataca a semente. Danos: a alimenta√ß√£o direta √© o principal dano, sementes s√£o destru√≠das totalmente e em tub√©rculos secos de mandioca os danos podem ser severos. Danos : Tanto larvas como os adultos s√£o prejudiciais e atacam gr√£os inteiros. Desta maneira, esta esp√©cie √© um bom indicador de gr√£os armazenados que apresentam ataque f√ļngico (United States Department of Agriculture, 1986). 25 dias, sob condi√ß√Ķes √≥timas de 30¬ļ C e 70% de umidade relativa (14% de umidade do gr√£o). 60). A 30 oC, em m√©dia 375 ovos (0,77 x 0,24 mm) s√£o depositados por f√™mea de O. surinamensis durante seu per√≠odo de oviposi√ß√£o, cerca de oito por dia. 54). Produtos: atacam frutos secos, gr√£os de cereais, amendoim, am√™ndoas de baba√ßu, tortas de oleaginosas similares (Haines 1991, Pacheco & De Paula, 1995). Cathartus quadricollis (Gu√©rin-M√©neville, 1892). Produto: S√£o capazes de infestar todos os gr√£os de cereais e podem tamb√©m atacar farinhas e produtos industrializados de cereais (Hill, 1990; Haines, 1991). O est√°gio larval dura de 35 a 45 dias e o de pupa de 6 a 9. O ciclo evolutivo √© completado com maior rapidez quando os insetos se alimentam de gr√£os, em vez de farinhas, e a temperatura √© alta (em torno de 3 - 4 semanas a 34¬įC e 70% de umidade relativa). Este inseto √© comumente encontrado atacando fumo armazenado, por√©m n√£o apresenta prefer√™ncia por um determinado produto, sendo muito voraz e atacando at√© produtos de origem animal (Fig. O sintoma do ataque nos gr√£os √© caracterizado pelos orif√≠cios de emerg√™ncia dos adultos (Gallo et al., 1988). A dura√ß√£o do est√°gio larval √© de 12,5 dias (O. surinamensis) e 15 dias (O. mercator) e o est√°gio de pupa dura 5,5 dias (Howe, 1956). Nas regi√Ķes tropicais e subtropicais do mundo, este inseto √© praga de consider√°vel import√Ęncia (Fig. Em gr√£os quentes, sua multiplica√ß√£o √© acelerada, e suas larvas alimentam-se vorazmente. Aparentemente as esp√©cies parecem suportar bem o inverno nas regi√Ķes de clima temperado (Haines, 1991). 63). Faixa de desenvolvimento: 13 a 35¬ļ C, sendo temperatura √≥tima de 30¬ļ C. Biologia. 67). √ďtimas condi√ß√Ķes de desenvolvimento encontram-se pr√≥ximas aos 28¬įC e 80% de umidade relativa; as faixas de umidade abaixo de 60% t√™m efeito adverso no desenvolvimento. O S. oryzae e S. zeamais s√£o pragas prim√°rias internas, isto √©, O empupamento ocorre ap√≥s 14 dias da eclos√£o, sendo completado em 4 a 5 dias e o ciclo evolutivo leva no m√≠nimo 20 dias (35¬įC e 80% UR) (Hill, 1990). Ciclo biol√≥gico: A f√™mea faz um pequeno orif√≠cio na superf√≠cie do gr√£o e deposita um ovo no seu interior, fechando o mesmo com uma secre√ß√£o serosa (Evans, 1981; Cotton & Wilbur, 1982). Estes insetos t√™m grande mobilidade dentro da massa de gr√£os (Hill, 1990; Haines, 1991). Estas duas esp√©cies s√£o pragas secund√°rias regulares de alimentos armazenados de origem vegetal em todas as partes do mundo, sendo por√©m, mais abundantes nas regi√Ķes quentes (Fig. Praga secund√°ria em produtos armazenados, √© encontrados tanto em regi√Ķes tropicais como em temperadas; este inseto tem prefer√™ncia por produtos farin√°ceos, por√©m pode ser encontrado em uma grande variedade de gr√£os, quando estes n√£o s√£o adequadamente manejados (Fig. 64). 58), principalmente para produtos de alto valor comercial , como o caf√©, do qual √© considerado praga prim√°ria. 57b), alimenta-se no interior do gr√£o escavando um t√ļnel; em cerca de 25 dias (a 25 ¬įC e 70% de UR) passa por 4 √≠nstares larvais e o empupamento ocorre dentro do gr√£o (Hill, 1990). Ciclo evolutivo: Das cerca de 16 esp√©cies registradas como ocorrendo no armazenamento de gr√£os, somente C. hemipterus (fig. Este besouro assemelha-se, em forma e tamanho a O. surinamensis, diferindo apenas por n√£o possuir as expans√Ķes em forma de dentes no t√≥rax e pela colora√ß√£o marrom-avermelhada brilhante (Fig. Ciclo biol√≥gico: Cada f√™mea pode colocar de 150 a 600 ovos, a 25¬įC e 32¬įC, respectivamente, com uma m√©dia de 6 ovos (T. castaneum 0,60 x 0,31 mm, T. confusum 0,57 x 0,32 mm) por dia, durante 2 meses (Lecato & Flaherty, 1974). Estes insetos s√£o pequenos besouros medindo cerca de 3 mm. A oviposi√ß√£o √© maior com o aumento da temperatura e pode durar mais de 4 meses; a eclos√£o das larvas ocorre em 6 a 9 dias, a uma temperatura de 30¬įC e 70% de UR. Condi√ß√Ķes √≥timas est√£o aproximadamente em 30¬įC e 70% de UR, quando o ciclo evolutivo dura 22,5 dias, abaixo de 18¬įC o desenvolvimento √© mais lento. Assim, alguns insetos necessitam, tal como as plantas, de um determinado n√ļmero Danos: O consumo do gr√£o e seus produtos √© o principal dano, por√©m as larvas penetram no gr√£o danificado para se alimentar seletivamente no germe, atacando tamb√©m a regi√£o germinal de gr√£os intactos, resultando em redu√ß√£o do teor nutricional e da porcentagem de germina√ß√£o. Os est√°gios imaturos s√£o semelhantes em forma e h√°bito aos de O. surinamensis, sendo que a larva possui o h√°bito de destruir o germe das sementes que se alimenta (United States Department of Agriculture, 1986). 61) (Haines, 1991; Pacheco & De Paula, 1995). O empupamento ocorre geralmente dentro do gr√£o e dura aproximadamente 3 dias a 34¬įC e 70% de umidade relativa (Lecato & Flaherty, 1974; United States Department Of Agriculture, 1986; Hill, 1990; Poy, 1991). O. surinamensis √© mais encontrado em gr√£os de cereais, enquanto que O. mercator tem prefer√™ncia por sementes oleaginosas ou produtos com maior teor de gordura (Rees, 1995). As condi√ß√Ķes √≥timas para o desenvolvimento s√£o 32¬įC e 70% de UR, quando o ciclo evolutivo completa-se em 25 dias (Haines, 1991). Os besouros adultos freq√ľentemente vivem por 1 ano e o ciclo evolutivo dura em m√©dia 7 semanas a 30¬įC e 70% UR (Vargas, 1988). Danos: Tanto o adulto quanto as larvas alimentam-se do conte√ļdo dos gr√£os, destruindo-os completamente. Ciclo Biol√≥gico. Os limites de desenvolvimento est√£o entre 15 e 32oC, com um √≥timo variando de 24 a 30oC (Pimentel, 1949). Danos: Estes cole√≥pteros geralmente agem como vetores de fungos e bact√©rias respons√°veis pela deteriora√ß√£o de gr√£os e outros produtos, seja no campo ou no armazenamento (Haines, 1991). 56). Cada f√™mea pode colocar de 150 a 300 ovos com tamanho m√©dio de 0,65 x 0,27 mm para S. oryzae e 0,76 x 0,27 mm para S. zeamais (Lecato & Flaherty, 1974). Adaptado de COTTON (1963) ... fer√™ncia direta no ciclo biol√≥gico dos insetos. 59). O ciclo evolutivo √© completado em um per√≠odo de 30 a 70 dias, de acordo com a temperatura e UR; os adultos podem viver acima de 4 meses (Hill, 1990; Haines, 1991). Cada f√™mea pode colocar de 150 a 300 ovos com tamanho m√©dio de 0,65 x 0,27 mm para S. oryzae e 0,76 x 0,27 mm para S. zeamais (Lecato & Flaherty, 1974). No Brasil, normalmente, sua import√Ęncia restringe-se ao fumo (Munro, 1966; Hill, 1990; Haines, 1991). Normalmente uma larva consome totalmente um gr√£o de trigo ou arroz durante o seu desenvolvimento, mas em milho diversas larvas podem desenvolver-se em um √ļnico gr√£o. Brilhante, apresenta-se com quatro pontos vermelho-alaranjados na parte traseira e furos tor√°cicos redondos e n√£o ovais. Danos: tanto larvas quanto adultos escavam galerias no produto atacado, danificando-o completamente. A larva √© branca e de lados paralelos, tem a cabe√ßa pequena e pernas proeminentes, medindo em m√©dia 0,3 mm de comprimento; quando completamente desenvolvida mede aproximadamente 2,8 mm. Larvas - s√£o im√≥veis, alimentando-se vorazmente do pr√≥prio gr√£o. Danos: as vagens s√£o broqueadas e as larvas alimentam-se no endosperma das sementes. Materiais embalados podem ser danificados. Produtos infestados por R. dominica dificilmente apresentam ataque f√ļngico, parece que esta esp√©cie n√£o ocasiona o aumento de umidade que outras esp√©cies de insetos ocasionam, como por exemplo Sitophilus spp. Oryzaephilus surinamensis (Linnaeus, 1758). Ciclo biol√≥gico: A f√™mea faz um pequeno orif√≠cio na superf√≠cie do gr√£o e deposita um ovo no seu interior, fechando o mesmo com uma secre√ß√£o serosa (Evans, 1981; Cotton & Wilbur, 1982). As larvas, nos primeiros √≠nstares, s√£o √°geis e t√™m colora√ß√£o branco-amarelada; √† medida que v√£o completando o est√°gio larval, tornam-se mais lentas e de cor parda. A longevidade do adulto √© de 11,8 dias a 30¬įC e 70% de UR (Howe & Currie, 1964). As pequenas larvas n√£o conseguem penetrar em gr√£os intactos, mas atacam aqueles que estiverem mesmo que levemente danificados. A postura √© feita em uma faixa de temperatura de 15 a 30¬įC e com teor de √°gua acima dos 12,5% para S. zeamais e 10,5 % para S. oryzae, a incuba√ß√£o dura cerca de 6 dias a uma temperatura de 25 ¬įC (Evans, 1981; Hill, 1990). O Stegobium paniceum √© muito semelhante em apar√™ncia a L. serricorne, mas √© mais alongado e cil√≠ndrico, apresentando os √©litros distintamente estriados. 25 dias, sob condi√ß√Ķes √≥timas de 30¬ļ C e 70% de umidade relativa (14% de umidade do gr√£o). Produtos: Um grande n√ļmero de produtos serve de alimento tanto para as larvas quanto para os adultos, incluindo cereais e seus produtos, nozes, especiarias, caf√©, cacau, frutas secas e ocasionalmente oleaginosas. Produtos: Tanto a larva quanto o adulto atacam alimentos de origem vegetal, especialmente gr√£os e seus produtos. A eclos√£o das larvas ocorre em 4 dias, a 30 oC e 70% de UR; as larvas s√£o brancas, alongadas, achatadas, muito ativas e quando totalmente desenvolvidas, medem cerca de 5 mm. Praga prim√°ria de leguminosas, principalmente do g√™nero Phaseolus, √© origin√°ria das regi√Ķes tropicais da Am√©rica do Sul e est√° disseminada pelas regi√Ķes quentes do continente americano, Europa e √Āfrica (Fig. O ciclo evolutivo pode ser completado em 26 dias a 37¬įC, mas dura 120 dias a 20¬įC; o per√≠odo normal fica em torno de 60 a 90 dias. As larvas s√£o √°podas, brancas e com pilosidade clara; cada larva passa, normalmente, toda sua vida dentro de uma mesma semente, onde ocorre o empupamento (Collier, 1981). Os adultos t√™m vida longa, alimentam-se intensamente e s√£o bons voadores (United States Department of Agriculture, 1986; Hill, 1990). 57a). A longevidade m√©dia dos adultos foi de 11 dias para as f√™meas e 13,8 dias para os machos.

Mart√≠n Ramos Pepito, Stink Studios Predictive World, Regulaciones De Alemania, Mocasines Para Ni√Īos En Medell√≠n, Tipos De Manzanas Urbanas Pdf, Tortugas De Darwin, La Ca√≠da De Constantinopla, Sony Mhc-v71d Potencia Watts, Bose F1 Model 812, Historia De La Optometr√≠a En M√©xico, Que Significa Eslogan, Edredones Para Cama, Para Que Sirve La Manzana Verde,